Casamentos

Mais sobre o casamento

Esse é mais um post que trouxe do Inveja Branca, afinal é gostoso relembrar.

Foi fácil decidir não finalizar essa tag junto com o mês de maio, afinal me lembrei que ainda não falei um monte de coisas e que essa saga está longe de terminar.
Entre todas as histórias cheias de carinho a do meu bouquet é a mais significativa. Mais de um ano antes de saber que me casaria estávamos eu e marido (nesse momento ocupando o posto de namorado) passando por uma rua quando avistei um lindo pé de jasmim carregado de flores brancas. Era um terreno de onde acabara de ser demolida uma casinha antiga. O Jasmim estava lá no canto, provavelmente sua beleza o fez ganhar mais alguns meses de vida (ele acabou por ser arrancado tempos depois) Disse que queria uma muda porque quando nos casássemos meu bouquet seria feito só de Jasmim. Namorido foi até lá arrancou a muda e fomos direto para a casa da minha vó, tem coisas que só vó faz por você.
Ela plantou e cuidou amorosamente da minha mudinha, e claro sorriu quando contei sua finalidade: Você inventa cada coisa, culpa da sua mãe que te da muita corda.
Um ano mais tarde foi a casa da minha vó que foi vendida e derrubada, mais uma casinha velha cheia de história que sucumbira ao crescimento urbano ( e aqui fala uma arquiteta cheia de queixas sobre a forma como esse crescimento se dá) O Jasmim foi levado para casa nova mas lá logo perdeu os cuidados da sua cuidadora. Dessa vez foi minha vó quem foi engolida pelo preço do passar do tempo… enfim
Sem os cuidados dela o Jasmim não era o mesmo e mais de um ano após sua morte quando chegou a hora do casamento, e a seca brava que assolou a primavera ano passado, não havia Jasmim algum para o bouquet. Comprei algumas outras flores (desde sempre sabia que faria meu bouquet)  e fui à caça de alguns herois da resistência pelas praças da cidade. Juro, foi isso mesmo que fiz, “roubei” Jasmim pela cidade. Por uma causa nobre acho que fui perdoada.
Encontrei alguns bem poucos e voltei jururu para casa; foi o agora já quase marido, que compadecido pela minha voz tristonha quem encontrou e me trouxe uma penca bem bonita na manhã do casório. Só esqueci de uma coisa básica… jasmins são ultra delicados e caem só de olhar. Então na montagem do bouquet era eu colocar um e caírem dois. Também esqueci de comprar a fita floral e fiz com fita crepe mesmo. Para o acabamento usei parte da barra do vestido na desculpa que era para combinar, mas a verdade é que a fita branca que deveria ter em casa sumiu no meio da bagunça pré casamento.
Não sobraram muitos Jasmins no bouquet somente o  bastante para levar minha vó alí bem pertinho de mim.
Além do mais achei que ficou lindo de todo jeito.

140

297

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s